Obrigado, obrigado, obrigado

Diz que devemos agradecer ao Universo por aquilo que nos concede tentando sempre descortinar o lado positivo mesmo quando o cenário parece catastrófico. Pelo que, quero aqui fazer a minha parte e realizar alguns agradecimentos relativos a eventos recentes.

Obrigado ao nosso Presidente da República que demonstra o impacto e influência que o seu cargo não executivo pode ter sobre quem está em exercício de funções, ora dando uma no cravo, ora dando outra na ferradura, ora sendo acelerador, ora sendo travão de ideias geringonças. Depois de retiradas as silvas o jardim de Belém parece agora florescer.

Obrigado aos chineses que nos ajudaram a trafulhar seus conterrâneos. Claro que o pagaremos caro, com juros, mas como bom povo mediterrâneo sabemos aproveitar ao máximo o sol de pouca dura antes da chegada de novo Outono-Inverno.

Obrigado à América por nos demonstrar a sua democracia vanguardista onde o embate político se tornou um misto de entretenimento e reality show ao estilo da “Casa Branca dos Segredos”. Mais importante do que ideias é saber que tipo de uso dá um candidato à sua genitália. Mérito ao primeiro a reconhecê-lo em Portugal, José António Saraiva.

Obrigado a Maria Leal por confirmar a qualidade dos curadores de artes performativas que apenas dão visibilidade e oportunidade a grandes valores artísticos.

Obrigado aos taxistas por com a sua manifestação nos fazerem esquecer por um dia a qualidade dos nossos transportes públicos, muito bem pensados à medida do orçamento possível.

Obrigado à Assembleia Geral da ONU por escolher um imaculado e verdadeiramente bem intencionado António Guterres para seu secretário geral. Também eu gosto e acredito na nossa picareta falante que tanto cresceu durante o seu mandato de 10 anos como alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, ou por outras palavras como responsável pela gestão de danos sociais causados pelas guerras mundiais. Foram 10 anos de forte crescimento onde mesmo assim se conseguiram milagres a nível orçamental gerindo-se a crise humanitária sem que fossem levantadas grandes ondas em termos mediáticos (só mais para o final a coisa se tornou um pouco viral mas rapidamente voltou a sair de cena). Desconfio que para os grandes líderes mundiais Guterres seja um género de picareta de São João, colorida e sonora mas que apenas dá pancadinhas de amor, em teoria fácil de aturar portanto. Agora com as rédeas de uma organização poderosa, com maior abrangência da sua área de influência e intervenção, espero que saia um pouco mais da casca procurando atravessar a fronteira da contenção em direcção à verdadeira resolução dos graves problemas mundiais. Se faz favor faça-se ouvir e aponte o dedo, doa a quem doer. Em último recurso não se embarace de trair alguns princípios e defender a capacitação dos refugiados para o reconquistar de tudo o que lhes foi tirado.

Finalmente obrigado ao PC e ao BE por se manterem fiéis ao PS garantindo assim uma estabilidade de pedra e cal que nos proporcionarão a todos um muito melhor Natal junto de nossos pais e avós um pouco mais sorridentes.

Tu és lindo Universo!

obrigado

Anúncios

About Nuno Faria

Nascido em 1977, vegetariano desde 1997 (por convicção própria), com licenciatura de Sistemas de Informação na Faculdade de Ciências de Lisboa em 1995-1999. Desde 2000 que estou envolvido em projectos de ambiente web, sites, portais e aplicações residentes em Intranets. Em 2003 integrei a equipa da Imoportal.com, hoje absorvida pela Caixatec - Tecnologias de Comunicação SA, onde dei o meu contributo para transformar um site com 30 a 40 mil visitas mensais numa rede de sites que atinge o milhão de visitas mensais. A Internet faz parte da minha vida profissional mas sou também um seu utente. E como tal interessam-me particularmente os mecanismos e dinâmicas capazes de aliciar, convencer e fidelizar visitantes. Preocupo-me em pensar, escrever e criar variados conteúdos que disponibilizo online, como forma de contribuição para o contínuo crescimento da web, não me limitando a ser apenas um seu consumidor.

Posted on Outubro 12, 2016, in Escárnio e mal-dizer. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: