Um chavão à procura de rumo

A “Economia Politica” é um chavão muito utilizado, servindo de argumento desde pequenos textos a exuberantes palestras, assistimos porém a uma mistura explosiva na maior parte das ocasiões em que se juntam estas duas palavras.Agulha no Palheiro

Estes dois vocábulos, cada um com seu significado e a milhas de distância do outro, raramente se poderão juntar devido á sua essência. A prova disso é mais que conhecida, com falhanços constantes na política, por via da economia, ou vice-versa.

Se encontrar um mediano economista na política pode ser mais ou menos frequente, encontrar um bom político que o seja também, em economia, é mais transcendente que encontrar uma agulha num palheiro.

Um economista tem de equacionar uma series de factores e interliga-los de forma a atingir um único fim, dar benefício, requalificar algo que não o dá, e baseia-se nos cálculos numéricos, que em boa justiça lhe darão razão, ou não, mais tarde, enquanto um político tem como preocupação primordial fazer isso mesmo, politica, interagir bem com todos, mesmo com aqueles com que não partilha as ideias.

Nas empresas terão forçosamente de existir os dois, por forma, que todos andem satisfeitos e mesmo assim ela dê lucros, aí é que reside a eficácia, numa separação eficaz de valores.

Terá de ser um País, diferente?

VéniaCom um número significativo de jovens com excelsos cérebros, alguns deles noticiados como magníficos, no exterior e nas mais diversas áreas, poderiam eles ser “aproveitados” para gerir a nação. Ficariam exuberantes por tais préstimos e ainda por cima pagos, bem pagos, por isso.

Num cenário de convivência salutar em que os jovens gestores teriam prémios de desempenho unicamente na proporção dos ganhos, deixando as vénias e palmadinhas nas costas para desempoeirar os fatos, aos que amam a política.

Em tempos como o presente, em que dos é dito que temos de cortar com o passado e olhar em frente, será talvez a única salvação da tal famosa “economia politica” aliando duas palavras que nunca se deveriam ter juntado, ou melhor encararíamos isso como efectivo, pois a separação sempre foi evidente.

Melhor que anunciar ao jovens, o promissor destino da emigração é dar-lhes a oportunidade de mostrar o que valem a quem os ajudou a formar, dando-lhes o privilégio de poder retribuir os ensinamentos.Sucesso

Anúncios

Posted on Janeiro 3, 2012, in Ideias para o País and tagged , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: